O reencontro 16 anos depois

O reencontro 16 anos depois

O reencontro entre Grêmio e Palmeiras ( Felipão e Luxemburgo) está marcado para o mês de Junho. Em 1996, em lados opostos, os dois técnicos se enfrentaram na fase semifinal da Copa do Brasil. Depois de perder em São Paulo, por três a um, o Grêmio de Felipão precisava devolver o mesmo placar em Porto Alegre. Não conseguiu: fez dois a um no Palmeiras de Luxemburgo. O jogo foi muito tumultuado. Dirigentes do Grêmio e o técnico Felipão reclamaram, e muito, da arbitragem de Dacildo Mourão Albuquerque, que anulou um gol legítimo do Grêmio. Este gol levaria a decisão da vaga para os pênaltis. Após o jogo, na coletiva, Felipão chegou a dizer que era impossível bater o “esquema Parmalat” (patrocinador do clube paulista).

 

GRÊMIO: Danrlei, Arce, Rivarola, Luciano e Roger; Adílson, João Antônio, Aílton e Rodrigo Mendes (Zé Alcino); Paulo Nunes e Jardel
Técnico: Luís Felipe Scolari

PALMEIRAS: Velloso; Cafu, Sandro Blum, Cláudio e Júnior; Galeano, Amaral, Djalminha ( Roque Júnior) e Rivaldo;, Müller ( Marquinhos) e Luizão (Elivélton)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Copa do Brasil 1996 - Semifinal - Jogo de volta
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre-RS
Data: 07 de junho de 1996, sexta-feira, 21h35min

Renda: 384.050,00
Público: 36.808

Árbitro: Dacildo Mourão Albuquerque
Bandeirinha que anulou o gol do Grêmio: Paulo Jorge Alves

Cartão Vermelho: Sandro
Gols: Cláudio 12/2ºT, Jardel 16/2ºT e Zé Alcino 33/2ºT